Atualizações de setembro, 2017 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • Rogerio Delai 19:12 em 22/09/2017 Link permanente | Resposta
    Tags: Freira   

    [:pb]Mensagem satânica escrita por freira a mais de 300 anos foi decodificada[:] 

    [:pb]Uma enigmática mensagem redigida em um código ininteligível há mais de 300 anos foi finalmente desvendada graças a um decodificador disponível na deep web. O mais fascinante da história toda é que o texto — composto por uma série de símbolos e letras — foi escrito por uma freira italiana chamada Maria Crocifissa della Concezione que supostamente estava possuída pelo Demônio.

    De acordo com Rossella Lorenzi, do site Live Science, a mensagem foi escrita em agosto de 1676, quando Maria tinha 31 anos de idade e vivia em no convento Palma di Montechiaro, na Sicília. Segundo registros da época, a freira teria sido encontrada no chão de sua cela com o rosto coberto de tinta e segurando o tal texto. Ela também teria dito que a nota tinha sido escrita pelo Diabo — em uma tentativa de fazê-la se voltar contra Deus e adorar ao Capiroto.

    Ei, Satanás!

    Mensagem satânica redigida por Maria Crocifissa della Concezione (Beata Corbera)

    A mensagem é composta por 14 linhas e foi decodificada por pesquisadores do Museu de Ciência de Ludum, na Sicília, com o uso de um programa de computador disponível na internet profunda. O time também analisou registros históricos sobre a vida da freira para descobrir mais a respeito da “possuída”, uma vez que, segundo o pessoal do museu, em casos de criptografia histórica, não se pode ignorar o perfil psicológico de quem criou a mensagem.

    Os pesquisadores descobriram que o nome de batismo de Maria Crocifissa della Concezione era, na verdade, Isabella Tomasi, e que ela entrou para o convento aos 15 anos de idade. O time suspeitava que a mensagem parecia ter sido redigida em algum tipo de linguagem simplificada ou talvez em um código criado pela freira a partir de letras e palavras de alfabetos da antiguidade, como o arábico, rúnico e grego.

    Possessão

    Para decodificar a mensagem, primeiro os pesquisadores do museu fizeram uma análise da repetição de sílabas e grafismos presentes no texto para identificar as vogais e, a partir daí, eles usaram um algoritmo para refinar a decodificação do conteúdo. Na realidade, o pessoal do museu esperava descobrir o significado de alguns símbolos soltos, nada que fizesse muito sentido.

    No entanto, para a surpresa do time, a freira tinha um bom domínio sobre alfabetos antigos, o que permitiu que os pesquisadores encontrassem sentido nos fragmentos decodificados. Basicamente, o texto consiste em divagações e, portanto, algumas partes são incompreensíveis, mas, nele, Maria acusa a Santíssima Trindade — isto é, Deus definido como Pai, Filho e Espírito Santo — de serem “pesos mortos”.

    Convento Palma di Montechiaro, na Sicília

    A freira fala ainda algo sobre Deus pensar que pode libertar os mortais, mas que o sistema não funciona para ninguém, e que talvez o Estige seja certo. Segundo os pesquisadores, na mitologia greco-romana, esse era o nome do rio que separava o mundo dos vivos do submundo.

    Na época, a mensagem foi considerada pela Igreja como prova do embate da freira contra inúmeros espíritos do mal, e existem registros de que essas forças malignas teriam tentado obrigar a mulher a assinar a mensagem. Entretanto, ela teria conseguido se opor heroicamente às demandas dos espectros demoníacos e voltado para os braços do Senhor.

    Já o pessoal do museu suspeita que a pobre religiosa provavelmente sofresse de esquizofrenia ou transtorno bipolar e, em breve, um estudo sobre seus achados será publicado em uma revista científica.[:]

    [Total: 0    Média: 0/5]

     
  • Rogerio Delai 18:57 em 22/09/2017 Link permanente | Resposta
    Tags: Antigas, Arvores   

    [:pb]As 5 árvores mais antigas do mundo[:] 

    [:pb]A árvore mais antiga do mundo é um pinheiro de 9,5 mil anos, (Isso mesmo Nove mil e quinhentos anos!!) chamado “Old Tjikko”, que está localizado na montanha Fulufjallet, em Dalarna, no noroeste da Suécia. A conífera foi descoberta em 2008 por cientistas da Universidade de Umeå, que determinaram sua idade a partir de uma análise com carbono-14.

    Sob a coroa do pinheiro, foram identificadas quatro “gerações” da árvore, na forma de cones e madeira produzidos nas partes mais altas. O estudo mostrou que os restos encontrados tinham 375, 5.660, 9.000 e 9.550 anos. Ao se multiplicarem por meio de raízes penetrantes, as coníferas podem produzir cópias exatas. A árvore que está crescendo na Suécia e os pedaços de madeira com 9,5 mil anos têm o mesmo material genético.

    Old Tjikko

    Até então, os pesquisadores acreditavam que as árvores mais velhas do mundo eram pinheiros norte-americanos, com idades de 4 e 5 mil anos. Os cientistas acreditam que todas essas árvores sobreviveram por causa da capacidade de criar um novo tronco depois que o antigo morria.

    Matusalém

    Matusalém

    Essa árvore, da espécie Pinus longaeva, não recebeu esse nome por acaso. Considerada como uma das espécime mais antigo do mundo, estima-se que ela tenha nada menos que 4.765 anos de idade! Essa raridade vive no Bosque de Matusalém, localizado na Floresta Nacional de Inyo, na Califórnia, e sua localização exata é mantida sob segredo, para evitar que a árvore sofra qualquer tipo de vandalismo.

    Sarv-e-Abarkooh

    Trata-se de um cipreste gigante que vive no Irã, contando com uma idade estimada entre 4.000 e 4.500 anos. Acredita-se que essa árvore seja o organismo vivo mais antigo da Ásia, contando com uma altura de 25 metros e circunferência de 18 metros. A Sarv-e-Abarkooh é um símbolo nacional e se encontra sob a proteção da Organização para a Proteção do Patrimônio Cultural do Irã.

    Llangernyw Yew

    Estima-se que esse enorme teixo, localizado no vilarejo de Llangernyw, no País de Gales, conte com uma idade entre os 3 e 4 mil anos. Segundo os botânicos, essas plantas conseguem sobreviver por tanto tempo graças aos novos ramos que vão se fundindo aos mais antigos, fazendo com que as árvores continuem vivas mesmo depois que o tronco principal tenha morrido. Tanto que o núcleo original da Llangernyw Yew já se perdeu há muito tempo, mas a árvore continua viva, contando com uma circunferência de base que chega a medir mais de 10 metros.

    Alerce-da-patagônia

    Essa incrível conífera conta com uma idade estimada em 3.620 anos e é nativa da região da Patagônia. Essas árvores chegam a alcançar mais de 45 metros de altura, embora ganhem apenas alguns milímetros de circunferência de tronco a cada ano. Sendo assim, pode demorar um milênio até que elas cheguem à sua altura máxima.[:]

    [Total: 0    Média: 0/5]

     
  • Rogerio Delai 09:16 em 11/09/2017 Link permanente | Resposta
    Tags: kkk   

    [:pb]EUA, mais uma vez sendo Racista, Arrogante e prepotente[:] 

    [:pb]UMA DAS IMAGENS mais chocantes da marcha “Unir a Direita” – realizada no dia 11 de agosto em Charlottesville, no estado americano da Virgínia – foram as centenas de jovens de tochas na mão, manifestando-se a favor do nacionalismo branco.

    Após a morte da ativista Heather Heyer, assassinada pelo militante de extrema-direita James Alex Fields Jr., de 20 anos, que jogou seu carro contra a multidão de manifestantes antirracismo, uma intensa cobertura midiática tem tentado explicar por que o movimento supremacista branco vem se organizando cada vez mais. A desumanização de grupos marginalizados – imigrantes, minorias raciais e muçulmanos – tem tido cada vez mais protagonismo na grande mídia conservadora e no discurso do Partido Republicano, culminando na intolerância descarada da campanha eleitoral de Donald Trump. Muitos especialistas veem o fenômeno do crescimento das organizações de direita radical e racistas como uma reação à alteração do perfil demográfico americano, aos direitos recém-conquistados por gays e lésbicas e ao aumento do poder econômico das mulheres.

    Por mais que esses fatores sejam reais, essa radicalização também tem origem em comunidades virtuais onde muitos jovens americanos construíram uma identidade de grupo – para só então passar à ação violenta no mundo real a que estamos assistindo. O The Intercept investigou o fenômeno, explorando as dinâmicas de raça, violência e cultura virtual em um curto documentário que pode ser acessado acima.

    Nos últimos anos, muitos grupos neonazistas – que antes dependiam de programas de rádio alternativos e editoras de fudo de quintal para difundir suas ideias – passaram a se aglutinar em torno de fóruns de videogames; sites de sarcásticos trolls da “alt-right” – termo que designa uma nova “direita alternativa”, defensora de ideias de extrema-direita fundadas sobre a supremacia branca; e do chamado “Movimento pelos Direitos dos Homens” para recrutar novos membros, aproveitando-se do descontentamento de muitos jovens para incutir-lhes ideias extremistas. O humor negro que se propaga nesses fóruns de discussão de limites e temáticas mal demarcadas normaliza as ideias de guerra racial e genocídio, gerando verdadeiras batalhas entre identidades raciais. Esse caldeirão virtual tem alimentado o crescimento da “alt-right” e de organizações racistas.

    Sem uma compreensão do papel desempenhado pelas comunidades virtuais, será muito difícil deter o avanço do nacionalismo branco.

    James Fields, por exemplo, foi fotografado usando um escudo da Vanguard America, um dos grupos da “alt-right” criados recentemente para recrutar mais e mais jovens para o movimento supremacista branco, principalmente nas faculdades americanas. O perfil de Fields no Facebook estaria cheio de imagens humorísticas sobre o poder do “ativismo nerd” e memes como Pepe, o Sapo, um inocente personagem apropriado por trolls e transformado em símbolo neonazista; e o Feels Guy, um desenho tosco de um homem careca e triste criado no fórum “4chan” para representar o isolamento social e a dor existencial. Os folhetos de divulgação da manifestação também continham imagens jocosas de memes famosos.

    O 4chan, um site que adora ofender as sensibilidades modernas com provocações sobre raça, violência e sexualidade, tornou-se um centro de recrutamento para o movimento nacionalista branco. Mas essa ideologia nem sempre teve tanto espaço no 4chan. Durante muito tempo, a página foi apenas uma plataforma de socialização para várias subculturas interessadas em mangás, animes e humor negro, além de ser um espaço de “trollagem”, a prática de atacar ou perseguir pessoas por pura diversão. Dale Beran, escritor e estudioso do 4chan, conta que seus usuários costumavam se reunir para “fazer incursões” nos servidores de Habbo Hotel, um jogo online para crianças, “apenas por ser uma maneira divertida de passar seu quase ilimitado tempo livre”.

    Nos últimos anos, entretanto, as campanhas de “trollagem” do 4chan têm se aventurado no terreno do debate político sobre multiculturalismo e diversidade. A polêmica do “gamergate”, que desencadeou uma onda de assédio e ameaças a mulheres na internet – alimentada pela profunda misoginia do 4chan – forneceu munição para o ódio conspiracionista contra feministas e defensores de políticas identitárias progressistas.

    Os usuários do 4chan aproveitam toda e qualquer oportunidade para “trollar” o que a escritora Angela Nagle chama de Tumblr-liberalism (“esquerdismo de rede social”, em tradução livre), um discurso de esquerda que, segundo Nagle, chegou ao “cúmulo do absurdo com uma política baseada nas minúcias e gradações de identidades em rápida proliferação”. Esse discurso nascente, analisado pela autora em seu novo livro sobre as guerras culturais na internet, Kill All Normies (“Morte aos Normies”*, em tradução livre), baseia-se em práticas vexatórias na internet, repreendendo publicamente todo tipo de comportamento percebido como ofensivo para sensibilidades identitárias em constante evolução.

    Um exemplo notável desse discurso progressista radical citado por Nagle é o caso de um escritor “antirracista” que usou a tragédia de uma criança – morta por um jacaré – para criticar o comportamento de “homem branco mimado” de seus pais.

    Em reação a essas tentativas de ridicularizar os brancos, uma parte da direita está se apegando a uma identidade de branco vitimizado. Para comunidades como o 4chan, que nunca conheceu limites, o apego à identidade branca foi levado ao extremo.

    Saiba mais em: Intercept_Brasil

     [:]

    [Total: 0    Média: 0/5]

     
  • Rogerio Delai 10:55 em 04/09/2017 Link permanente | Resposta
    Tags: Coréia do Norte, Kin Jong Un   

    [:pb]Coréia detona bomba termonuclear[:] 

    [:pb]

    Kim Jongun não parece estar blefando. Sua nova bomba é melhor que a de plutônio ou a de urânio.

    Ontem a Coréia do Norte fez um anúncio assustador: mostraram fotos do Grande Líder visitando o Instituto de Armas Nucleares e inspecionando uma suposta ogiva termonuclear, desenvolvida internamente.

    Que a Coréia do Norte tem armas nucleares, não há dúvidas: os testes deles foram detectados por satélites, sismógrafos e outras plataformas de sensores. O que mantinha o mundo mais calmo era que eles ainda não tinham conseguido miniaturizar uma bomba a ponto de caber em um míssil.

    Vários analistas botaram a mão no fogo dizendo que o dispositivo mostrado era só um modelo não-funcional, que eles não conseguiriam miniaturizar uma bomba tão rápido.

    A princípio não deveria ser tão difícil. A little boy, bomba que caiu em Hiroshima não era especialmente grand

    3 metros de comprimento, 4,4 toneladas de peso. Grande, mas não especialmente.

    Isso foi em 1945. Em 1961 já havia tecnologia para produzir a W-48, uma ogiva nuclear com potência entre 0,01 e 0,1 kt; usada na bazuca nuclear David Crockett, e que até hoje é a arma de destruição de massa mais fofa do mundo…

    Em 1979 entrou em produção a W-80, uma ogiva termonuclear de 100 quilotons, pequena o bastante para caber em mísseis de cruzeiro:

    O dispositivo apresentado pela Coréia do Norte é condizente em tamanho e formato com um artefato desenvolvido internamente, sem sofisticação e know-how, mas com bastante conhecimento teórico e incentivo. Pode não ser uma bomba termonuclear, mas com certeza se parece com uma.

    O dispositivo, apelidado de amendoim aparenta ser uma bomba termonuclear. A parte de baixo, maior, é uma bomba de fissão, que gera o calor e pressão necessários para a reação de fusão, que ocorre na metade menor.

    O barrilzinho de chopp do mal em cima do banquinho é a unidade de controle, com circuitos, sensores e baterias. O negócio marrom na frente é o cone do veículo de reentrada, onde a bomba é presa.

    Aqui os dois últimos testes nucleares da Coréia do Norte em 2016, em preto o teste do hoje:

    As estimativas variam entre 100 kt e 120 kt.

    O que é uma explosão de 120 kt? Digamos assim. Assista este teste, a detonação Crossroads Baker, em 24/7/1946:

    Essa explosão foi de 23 kt, mais de cinco vezes menor do que a bomba que a Coréia do Norte detonou. A de Hiroshima teve 13 kt, a de Nagasaki 20 kt, e o Grande Líder ameaçou jogar uma dessas em Guam.
    A reação internacional veio com tudo, significando nada. Japão disse que não toleraria outro teste, se fosse confirmado (depois confirmaram). China e Rússia disseram que alguém tem que fazer alguma coisa. Trump tuitou que esse teste mostrou à Coréia do Sul que com a Coréia do Norte não adianta conversar, eles só entendem uma coisa.
    O Conselho de Segurança da ONU marcou uma reunião de emergência. Para amanhã, às 10:00, afinal de contas só vão mandar uma carta muito ríspida, pra que estragar o domingo de todo mundo?
    O Grande Líder já está preparado, estocou um milhão de toneladas de petróleo e segura a onda por um bom tempo caso ampliem as sanções econômicas e China e Rússia resolvam aderir a sério.
    Do lado americano a anta do Trump disse que “os EUA estão pensando em parar de negociar com qualquer país que comercie com a Coréia do Norte”. Boa sorte parando de importar coisas da China, laranjão.

    Agora ele está reunido com os assessores militares, “estudando as respostas”. Segundo Jim Mattis, secretário de Defesa dos EUA “a resposta será massiva”, e que há “muitas opções militares”. Sim, muitas. Todas elas envolvem um custo imenso de vidas japonesas e sul-coreanas, sem contar americanas.

    É hora de fazer alguma coisa? O consenso é que a hora já passou, e faz tempo. Mattis disse que não é do interesse dos EUA aniquilar uma nação inteira mas qualquer provocação ou ameaça aos EUA e seus territórios será respondida com força.

    O quê isso muda? Nada. São as mesmas contra-ameaças vazias de sempre. Acabaram de dizer que não vão fazer nada, “mas da próxima vez…”

    Um aparte nesta historieta.: as estimativas agora projetam, dependendo da equação utilizada, uma potência entre 63 e 542 quilotons. Have a nice day (Se é que haverá um).

    Fonte: MeioBit[:]

    [Total: 0    Média: 0/5]

     
  • Rogerio Delai 20:27 em 15/05/2017 Link permanente | Resposta
    Tags: Federal, Policia   

    Te passaram a perna na internet? sofreu um golpe? veja como se defender. 

    Quem navega pela internet pode, algum dia, encontrar uma situação e não saber como agir. Pedofilia, exploração e pornografia infantil, racismo, homofobia, intolerância religiosa, invasão de privacidade, crimes contra a honra, neonazismo, maus tratos contra animais, tráfico de pessoas. Todos são crimes dentro e fora da internet e por isso devem ser denunciados. Mas como fazer isso?

    O site Safernet Brasil recebe denúncias e encaminha às autoridades competentes. Para isso você deve entrar no site e clicar no botão vermelho ‘Crimes na Internet? Denuncie’. Na próxima página você poderá tipificar o crime e enviar o link da página. Ao clicar em cada crime, uma pequena explicação sobre para esclarecer e para que a denúncia seja feita corretamente. Se o conteúdo enviado for mesmo crime, a equipe do site elabora um relatório que será enviado ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal.

    O UOL Denúncia oferece o mesmo suporte, com a diferença de poder optar por uma denúncia anônima ou com identificação para que o denunciante possa acompanhar o andamento e para que possam entrar em contato, caso seja necessário. Há também a possibilidade de enviar, além do link da página, vídeos, textos, áudios e print screen da tela.

    No Facebook você pode denunciar um perfil que julgue ser ofensivo clicando em ‘Denunciar’. Você poderá identificar o motivo da denúncia como nudez/conteúdo sexual, spam/vírus, atividade ilegal, ódio/violência. Além disso, alguns perfis também recebem links de sites indevidos, como o perfil da Polícia Federal de Repressão a crimes de Informática.
    No site da Polícia Federal também existe um espaço para denúncia. Um formulário parecido com o do SaferNet deverá ser preenchido.

    Pronto, não é por falta de informação que você vai deixar crimes virtuais sem punição. Denuncie!
    Links para denunciar:

    Polícia Federal – http://www.dpf.gov.br/institucional/campanhas

    Nota: Se o crime que você tem conhecimento não foi cometido por uma página da internet, utilize o serviço Disque 100 ou mande um email para denuncia.ddh@dpf.gov.br, e procure a Delegacia mais próxima.

    Safernet – http://www.safernet.org.br/site/
    Uol Denúncia – https://denuncia.uol.com.br/

    E quando se tratar de tentativa de golpe por e-mail?
    PF alerta para e-mails falsos
    A Polícia Federal alerta aos internautas que estão sendo enviadas mensagens eletrônicas em nome do órgão. As falsas mensagens informam que o usuário teria navegado por sites clandestinos e que isso resultaria na abertura de inquérito policial. Depois há um pedido para “clicar” em um link anexado a mensagem.

    A Polícia Federal não envia mensagens eletrônicas para apuração de denúncias e nem para abertura de investigação. Somente entra em contato via e-mail com usuários que utilizaram os canais de denúncias no site.

    Portanto, ao receber a mensagem suspeita, orientamos que ela seja encaminhada para o endereço crime.internet@dpf.gov.br e, logo em seguida, apagada.

    Como previnir ou minimizar golpes em caixas eletrônicos?

    A Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN recomenda os seguintes cuidados:1 – Ao digitar sua senha, mantenha o corpo próximo à máquina, para evitar que outros possam vê-la ou descobri-la pelo movimento dos dedos no teclado. As pessoas atrás de você devem respeitar as faixas de segurança;

    2 – Prefira utilizar os caixas automáticos instalados em locais de grande movimentação e, se possível, em ambientes internos (shoppings, lojas de conveniência, postos de gasolina etc.);

    3 – Sempre que possível, faça seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Quando precisar realmente sacar dinheiro à noite, leve um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila;

    4 – Nunca aceite ou solicite ajuda de estranhos, mesmo que não lhe pareçam suspeitos;

    5 – Esteja atento à presença de pessoas suspeitas ou curiosas no interior da cabine ou nas proximidades. Na dúvida, não faça a operação;

    6 – Caso não consiga concluir uma operação, aperte a tecla ANULA ou CANCELA;

    7 – Em caso de retenção do cartão no caixa automático, aperte a tecla ANULA ou CANCELA e comunique-se imediatamente com o banco. Tente utilizar o telefone da cabine para comunicar o fato. Se ele não estiver funcionando, pode tratar-se de tentativa de golpe. Nesses casos, nunca aceite ajuda de desconhecidos, mesmo que digam trabalhar no banco, nem digite senha alguma na máquina;

    8 – Não se preste a receber créditos de pessoas desconhecidas em sua conta. Propostas desse tipo são feitas por golpistas, nas proximidades de caixas automáticas e de agências;

    9 – Desconfie de vantagens financeiras ou dramas familiares que lhe sejam apresentados por desconhecidos na fila do caixa automático, especialmente propostas de utilização de sua conta para transferência de valores;

    10 – Evite sacar grandes valores em dinheiro. Nas transações de valores altos, dê preferência aos meios eletrônicos de pagamentos, como cartões, DOCs e TEDs.
    Fonte: Site da Polícia Federal – http://www.dpf.gov.br/institucional/campanhas

    [Total: 0    Média: 0/5]

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: